Empresas brasileiras são tímidas em transformação digital, diz pesquisa PWC/FDC

Pesquisa PWC/FDC revela nível de maturidade digital das empresas brasileiras em uma escala de 1 a 6

A transformação digital no cenário empresarial brasileiro apresenta desafios expressivos, conforme revelado pelo “Índice Transformação Digital Brasil (ITDBr)” da PwC Brasil, criado em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC).

De acordo com a avaliação de dez dimensões, mais da metade das empresas analisadas (52,4%) foram classificadas como “seletivas”, indicando investimentos digitais tímidos, limitados. Apenas 25,2% alcançaram a categoria “otimizadoras”, caracterizadas por investimentos avançados em tecnologias como Inteligência Artificial (IA).

A metodologia exclusiva do ITDBr mede o nível de maturidade digital em áreas como Estratégia, Governança, Clientes digitais, Processos digitais, e mais. A pontuação média ficou em 3,3, com destaque para o setor financeiro, que atingiu 4,1, enquanto a produção industrial ficou abaixo da média, registrando 2,9 —evidenciando desafios significativos para a adoção da Indústria 4.0. O setor de Saúde apresentou o menor índice, com 2,8. Não é por acaso que você espera tanto na fila do médico ou do hospital, mesmo pagando caro pelos planos de saúde aqui no país.

Data-driven: empresas brasileiras deixam a desejar

Outro fator surpreendente é que embora as empresas brasileiras se considerem orientadas por dados, investem pouco na aplicação inteligente dessas informações.

A incorporação do digital em projetos existentes e a criação de um processo claro de digitalização são desafios cruciais. No entanto, a falta de estrutura e cultura organizacional tem sido uma barreira.

O baixo senso de urgência na formação e contratação de competências digitais, juntamente com uma avaliação negativa do ambiente para experimentação e agilidade, são obstáculos significativos.

Falta experiência em Digital no Brasil

A inexperiência em projetos digitais (28%) e a ausência de visão de um modelo de negócios (21%) são preocupações adicionais.

Apenas 7% das empresas visam a transformação completa do negócio para um modelo digital, e apenas 8% estão envolvidas na criação de novos negócios digitais, como NaaS e SaaS. A maioria demonstra baixa maturidade para IA, com apenas 10% implementando iniciativas nesse campo.

Poucas organizações adotam gestão de riscos e aplicação de assessments para avaliar a maturidade para a transformação digital. Implementações de governança digital foram destacadas apenas por 1% dos respondentes.

Resumindo, as organizações brasileiras continuam mais focadas nos impactos imediatos ou de curto prazo da digitalização do que na transformação estratégica e cultural, essencial para a competitividade e sustentabilidade do negócio. “Isso pode resultar em transformações que não atendam plenamente às necessidades dos clientes, deixando de capturar oportunidades provenientes de novas possibilidades de interação, novos canais e tecnologias inovadoras”, alerta David Morrell, líder de Customer Experience & Innovation da PwC Brasil.

Fonte: The Shift

Mentoria de Produto

Tenho mais de 20 anos de experiência em Transformação Digital —participei deste processo desde o nascimento das primeiras empresas .com no Brasil no início dos anos 2000. Já atuei no UOL/Pagbank, na Natura e no Walmart.com antes de me tornar consultor, tendo atendido Microsoft Brasil, GPA, ViaVarejo, entre outros, com temas que vão deste OKRsProduct Management até Business Agility.

Fale comigo se precisar de mentoria individual ou consultoria/treinamento para a transformação de sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *