Product Manager: cuidado com as métricas de vaidade

Métricas

Métricas de vaidade podem ser uma armadilha sedutora, especialmente para Product Managers ansiosos por demonstrar sucesso. Embora possam inflar o ego e ajudar na hora daquela apresentação de palco para a equipe toda, muitas vezes oferecem uma visão distorcida do verdadeiro impacto daquilo que seu time entrega.

Faça um teste rápido e identifique qual abaixo é uma métrica de verdade, e qual é uma métrica de vaidade.

  • Nossa entrega reduziu o tempo de cadastro de produtos de 20 dias para 8 dias —e queremos chegar a 2 dias.
  • Instalamos o sistema XPTO em 20 lojas e queremos expandir para 50 lojas no próximo ano.

E aí? Conseguiu reparar a diferença? Saiba que isso é um caso real, de uma apresentação trimestral que assisti esta semana em um cliente.

Caso não tenha, vem cá que eu te ajudo.

Métricas de Verdade vs. Métricas de Vaidade

Uma métrica de verdade atesta uma melhoria de performance. Consegui vender mais, consegui trazer mais inscrições, consegui aumentar meu ticket médio, consegui aumentar DAU/MAU (essa está quase na fronteira, mas tudo bem), consegiu reduzir custo operacional…

Uma métrica da vaidade atesta que você seguiu direitinho o que o diretor ou a área de negócio pediu, mas não sabe muito bem (ou, se sabe, não comunica direito) qual é o resultado daquilo para a empresa.

Já conseguiu diferenciar?

Então eu digo que a primeira é uma métrica de um Product Manager de verdade. A segunda é uma métrica de um gerente de projetos disfarçado de Product Manager.

Note: instalar um sistema em uma loja é a solução. Qual é o problema que isso resolve? Se você, como Product Manager, não consegue comunicar isso com clareza, instalar em 20 lojas ou em 50 lojas pode ser simplesmente um projetão disfarçado —daqueles que você conclui e nem sabe por que começou.

Mas o tempo de cadastro de produto é REALMENTE um problema. E se você consegue reduzi-lo, você gerou valor. Parabéns, você está atuando como Product Manager!

Resultados vs. Números Superficiais

Um exemplo clássico é o aumento no número de downloads de um aplicativo, que, por si só, não reflete a satisfação do usuário ou a retenção a longo prazo. Product Managers precisam ir além dessas métricas superficiais para construir um entendimento mais profundo e autêntico do desempenho de seus produtos.

Evitar a armadilha das métricas de vaidade requer um olhar crítico sobre o que realmente importa. Ao invés de focar apenas em métricas de volume, como downloads ou visualizações, direcione a atenção para métricas que refletem o valor real entregue aos usuários. Taxas de retenção, engajamento ativo e satisfação do usuário são exemplos de métricas mais significativas.

Outro ponto crucial é considerar o contexto. Por exemplo, um aumento nas taxas de conversão pode ser emocionante, mas se não estiver alinhado com os objetivos estratégicos de longo prazo, pode ser uma vitória vazia —ou mesmo gerar problemas de pós-venda, se você não se comunicou e alinhou direitinho sua estratégia com outros Product Managers.

A dica final para evitar métricas de vaidade é cultivar uma mentalidade orientada a dados, garantindo que cada métrica escolhida esteja alinhada com os objetivos específicos do produto. Ao fazer isso, os Product Managers podem não apenas evitar armadilhas de vaidade, mas também construir uma base sólida para a tomada de decisões informadas e o sucesso a longo prazo de seus produtos.

Mentoria de Produto

Tenho mais de 20 anos de experiência em Transformação Digital —participei deste processo desde o nascimento das primeiras empresas .com no Brasil no início dos anos 2000. Já atuei no UOL/Pagbank, na Natura e no Walmart.com antes de me tornar consultor, tendo atendido Microsoft Brasil, GPA, ViaVarejo, entre outros, com temas que vão deste OKRsProduct Management até Business Agility.

Fale comigo se precisar de mentoria individual ou consultoria/treinamento para a transformação de sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *